Leitura para agitar o cérebro

0 Flares 0 Flares ×

 

Biblioteca montada pelos próprios integrantes disponibiliza diversos livros a quem participa da UNATIL

Por Pollyana Lopes

emfoco@feuc.br

Na Universidade Aberta à Terceira Idade Leda Noronha (UNATIL), os idosos têm a oportunidade de manter o corpo dinâmico em aulas de yoga, dança, canto etc. Para manter “mente sã em corpo são”, porém, é preciso trabalhar também o cérebro, o raciocínio, o espírito. Nesse quesito, a leitura pode ser um grande aliado. Para quem já passou dos sessenta e está sujeito a uma série de agravos que podem levar embora até mesmo as lembranças, não há melhor remédio. Por isso a leitura é incentivada entre os integrantes do grupo da terceira idade, por meio de uma biblioteca própria.

DSC_0277Entre uma atividade e outra, nas tardes de terça, quarta e quinta-feira, quem passa em frente à sala da coordenação da UNATIL, na FEUC, encontra uma banca cheia de livros.

A iniciativa de montar a biblioteca partiu de Maria José da Silva, que teve a intuição depois de uma das atividades culturais organizadas pela universidade. Em uma visita ao Castelo Mourisco, o prédio principal da Fundação Oswaldo Cruz, ela e os colegas conheceram o projeto de troca de livros daquela instituição. Zezita, como carinhosamente é conhecida, acreditou que algo parecido poderia ser implementado na UNATIL. Então ela e as colegas, com apoio da FEUC, saíram em busca de doações de livros — e prontamente foram atendidas. Hoje, a pequena biblioteca conta com mais de 150 publicações.

“Eu trouxe a ideia porque vi na Fiocruz uma coisa de troca de livros, nem era uma biblioteca. Lá eles levam um livro, pegam outro e levam pra casa. Eu gostei da ideia e trouxe pra cá, mas aqui nós modificamos. Eu falei com os outros componentes para trazerem livros e doarem para a gente formar uma pequena biblioteca. Assim, nós emprestamos: uns doam e outros levam emprestados, ficam sete dias com o livro e, se não conseguirem ler, é só renovar”, explica Zezita.

Entre as mais empolgadas com a leitura e cativadas pelo projeto está Waldea Bernardo. Apesar de ter a possibilidade de adquirir livros por outros meios, seu nome aparece frequentemente na lista de empréstimos. Ela, que prefere os romances clássicos de Eça de Queiroz, Machado de Assis, José de Alencar e Luis Fernando Veríssimo, destaca a importância da leitura e alerta que o hábito deveria ter mais adeptos: “Ler é importantíssimo, leitura acrescenta tudo na nossa vida. De tudo o que a gente lê, a gente aprende um pouco. Eu acho que as pessoas deveriam ter mais interesse. Quinze, vinte minutinhos que você tira para ler um capítulo, dois, três, não vão ocupar tanto o seu tempo, e só tem a acrescentar, ainda mais na nossa idade”, incentiva Waldea. “A gente tem que ler, procurar sempre atividades pra mente não parar, porque senão ela para e a gente fica só pensando em coisas que não deve. A leitura é o melhor caminho, qualquer tipo de leitura, até gibi eu leio. Eu gosto mesmo!”, enfatiza.

A professora Leda Noronha, fundadora e diretora da UNATIL, ressalta o protagonismo do grupo que teve a iniciativa: “A ideia da biblioteca da UNATIL surgiu dos próprios integrantes. As doações foram feitas por diversas pessoas e não há nenhuma restrição”, esclarece a diretora. “A pessoa doa o que quiser, e o outro lê o que quiser. Livros religiosos, científicos, literatura, tem um pouquinho de tudo porque é um esforço coletivo, um esforço deles. Isso é incentivado por nós porque a gente sempre dá muita importância às atividades que brotam do próprio aluno”, diz.

A banca impressiona pela variedade de livros em oferta. (Foto: Pollyana Lopes)

A banca impressiona pela variedade de livros em oferta. (Foto: Pollyana Lopes)

Tímida, é preciso um pouco mais de conversa para que Zezita conte suas motivações mais íntimas em propor a biblioteca. “Eu adoro ler, por isso eu tive essa ideia. Já li muito na minha vida”, revela. Pensando nos colegas, ela se solidariza: “Às vezes você gosta de ler, mas não tem como, até comprar, porque livro é caro”, pondera Zezita.

O projeto cumpre seu papel, como diz a própria Zezita: “Foi um sucesso. Sempre tem alguém pegando livro”, alegra-se.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


9 × = dezoito

Somente serão aceitos comentários de autor identificado, relacionados ao assunto em pauta e que não contenham termos ofensivos.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×