Monografia: essa palavra assusta?

0 Flares 0 Flares ×

 

Victor Ramos da Silva - FEUCPor Victor Ramos da Silva, pesquisador (UFF/GEPEX) e professor de Extensão e
Pós-Graduação nas FIC

Costumo dar cursos sobre preparação de monografias, artigos e projetos, e sempre observo como essa etapa da vida acadêmica – a produção de textos científicos – tem o poder de assombrar o graduando. Do friozinho na barriga ao pânico absoluto, os relatos são variados. Mas, afinal, como evitar tanta preocupação, nervosismo e noites mal dormidas?

Acredito que o fundamental seja a questão da disciplina e da organização. Você deve começar a pesquisar sobre seu tema bem antes do início da produção. Quanto às tantas regras da ABNT, basta ter um modelo de monografia (ou projeto) e digitar por cima. Não é crime, não é pecado, não é errado… Se você já está em fase final e não sabe lidar muito bem com o computador (não deixe isso acontecer!), pode ter ajuda de pessoas da área da informática: pagar por formatação e revisão adequadas não é errado também. O único erro é plagiar ideias. O uso da criatividade alheia, seja quando você “compra” um trabalho, seja quando “copia” páginas de alguém, isso sim é CRIME! E seu orientador, profissional experiente no assunto, tem mecanismos para detectar a fraude.

Se tem dificuldades na redação, a leitura de bibliografias e os conselhos de seu orientador vão ajudá-lo a evoluir, mas você também pode encontrar dicas na internet sobre a produção de textos (inclusive textos acadêmicos). Esmerar-se nessa arte é garantia não apenas de uma bela monografia, mas também de estar pronto(a) para questões discursivas, redação ou projeto que tenha de desenvolver ao longo de sua carreira. As instituições que fomentam pesquisas (CAPES, FAPERJ etc.) abrem editais para financiar pesquisas e sempre exigirão um projeto bem elaborado. Esses financiamentos são altos, além das bolsas ofertadas nos cursos de mestrado (R$ 1.500) e doutorado (R$ 2.200). Ganha bolsa aquele com melhor produtividade e capacidade de relatar seus “feitos” nesse tipo de texto. Você ainda acha que a monografia e o projeto são desnecessários em seu processo de formação?

 

Algumas dicas de ouro:

 

1. As recomendações de seu orientador devem ser seguidas, afinal ele quer o melhor de seu trabalho – que também trará benefícios a ele;

2. Você só terá autonomia para “mandar no seu texto” após o doutorado. Até lá, guarde para si suas “opiniões”; afinal, você está escrevendo um trabalho científico;

3. Salve tudo em vários lugares, preferencialmente online, pois pendrive some, computador quebra, notebook é roubado, papel molha e ideias somem;

4. Tenha um arquivo (ou caderno) chamado “citações” para reunir trechos longos e curtos que pretende usar em seu trabalho, separados por assunto, com nome do autor, obra e página, para não ter que abrir tudo quanto é livro na hora de escrever;

5. Leia tudo o que puder antes de começar a escrever, pois estando por dentro do tema terá mais tranquilidade na hora da escrita;

6. Organize-se e cumpra prazos, reservando horário para pesquisar, coletar dados, analisar e escrever. Eu, por exemplo, na fase de elaboração, cursava 7 disciplinas e dava aula para 27 turmas em 3 cursos e 2 escolas… e não precisei ficar noites sem dormir;

7. Quando estiver sem inspiração para escrever, vá revisando, formatando e cuidando das partes pré-textuais. Revise sempre e tenha um amigo revisor, para que seu orientador preocupe-se apenas com o conteúdo.

 

Se ainda assim precisar de ajuda, o curso “Metodologia do Trabalho Acadêmico: Monografia, Artigo e Projeto” será oferecido a partir do dia 19/09/2014, em dois horários semanais, de manhã e à noite. As inscrições podem ser feitas na Secretaria da Pós. Custa R$ 40 e inclui material didático, certificado e cinco aulas.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


+ seis = 12

Somente serão aceitos comentários de autor identificado, relacionados ao assunto em pauta e que não contenham termos ofensivos.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×