Um ano para ser lembrado

0 Flares 0 Flares ×

 

Por Leda Corrêa de Noronha

Diretora Geral da Universidade Aberta à Terceira Idade em Campo Grande (UNATIC)

O ano é 1994. A razão pela qual ele deve ser lembrado é muito simples, mas nem por isto menos importante. Neste ano foi sancionada, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, a Política Nacional do Idoso — primeiro documento a registrar a preocupação dos governantes com a situação desse segmento da população.

A rapidez do processo de envelhecimento da população brasileira, os preconceitos, os comportamentos discriminatórios em relação ao idoso têm sido constantes, ao longo dos anos, em um país onde se valoriza a juventude, a beleza e o dinamismo. Nele não é fácil envelhecer com dignidade, superando a visão social generalizada de incapacidade produtiva e doença — enfim, de um peso para a família e a sociedade.

O processo de envelhecimento, além de biológico, é também uma construção social: ninguém escapa dele a não ser pela morte prematura.

Algumas instituições procuraram e procuram alterar a situação, e a Política Nacional do Idoso sugere a criação da Universidade Aberta para a Terceira Idade — as UNATI.

Fiel ao espírito com que foi criada (em 1960) de servir a comunidade de Campo Grande, a FEUC (Fundação Educacional Unificada Campograndense) mantém desde 04/08/1994 a UNATIC (Universidade Aberta à Terceira Idade em Campo Grande) — primeiro núcleo a oferecer atividades para a terceira idade em Campo Grande.

Hoje, decorridos vinte anos, a UNATIC, que teve início com pouco mais de uma dezena de pessoas, é integrada por mais de 100 (cem) pessoas, sem que tenha havido em todos esses anos qualquer tipo de propaganda; elas chegam por convite, indicação médica ou por verem pessoas com o uniforme nos passeios, nas ruas de Campo Grande ou adjacências.

1994 foi também um ano marcado por uma tragédia, nele morreu o sempre querido e lembrado piloto de fórmula 1 Ayrton Senna, na curva Tamborello, em Imola, Itália; assim é a vida, com altos e baixos, com alegrias e tristezas… O show da vida não pode parar — é inexorável esta lei.

Por último, mas não menos importante neste show, tivemos a conquista do tetracampeonato mundial de futebol — fato que naquela época empolgou os brasileiros como hoje o faz a esperança do hexa.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


2 × cinco =

Somente serão aceitos comentários de autor identificado, relacionados ao assunto em pauta e que não contenham termos ofensivos.

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×