Por dentro das FIC - Matéria 04

INSPIRAÇÃO PARA ESTUDANTES, ORGULHO PARA AS FACULDADES.

PROFESSOR ANDRÉ OLIVEIRA VAI PARA INGLATERRA PREMIADO POR PROJETO REALIZADO COM SEUS ALUNOS DO COLÉGIO ESTADUAL ERICH WALTER HEINE

 

Professor André, em seu discurso, no dia da celebração do Prêmio Shell de Educação Científica.

André Gonçalves de Oliveira (foto), 39 anos, professor nos cursos de Matemática, Administração e Sistemas de Informação da FEUC, acaba de ser laureado no último Premio Shell de Educação Científica. A premiação aconteceu no dia 13 de dezembro, mas o saborear do prêmio, uma viagem para Londres, está em pleno curso. André embarcou no dia 13 de janeiro para uma jornada de visitas a centros de pesquisas na cidade. Essa foi a 4ª edição do prêmio, concorrido por 307 projetos de professores que atuam no ensino fundamental e médio. Apenas os três primeiros colocados em cada um dos segmentos recebem esta premiação.

 

Professor André, em Londres, após receber o Prêmio Shell de Educação Científica.

 

Com o trabalho intitulado “Modelos de cidades sustentáveis na MOBFOG e os avanços das tecnologias aeroespaciais”, desenvolvido no Colégio Estadual Erich Walter Haine, em Santa Cruz, André foi o 2º colocado no segmento Ensino Médio. A MOBFOG – Mostra Brasileira de Foguetes – é um evento anual realizado pela Sociedade Astronômica Brasileira e aberto à participação de escolas públicas e privadas que manifestem seu interesse. Segundo André, o projeto envolveu toda a comunidade escolar, mas principalmente os estudantes, verdadeiros protagonistas deste sucesso. A partir da integração de diversas disciplinas – Artes, Sociologia, Química, Matemática, Português, Física, Filosofia e Geografia – os estudantes foram organizados em grupos de três e, durante um mês, participaram de atividades teóricas e práticas em torno do tema do lançamento de foguetes, traduzindo a complexa ciência presente neste processo em experiências simples e muito didáticas – como a mistura de bicarbonato de sódio e vinagre: “Essa mistura gera gás carbônico, que aumenta a pressão numa garrafa PET e é ejetado para baixo, lançando, pela terceira lei de Newton, o foguete para cima”, explica André.

 materia4-3materia4-4

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O professor declara a alegria em promover e viver o envolvimento do grupo na produção da pesquisa, e a importância de trabalhos lúdicos no processo de ensino-aprendizagem. Observa como estes já fazem planos de seguir estudando e pesquisando na área “das exatas”, para o orgulho do professor, que está a caminho de concluir o doutorado em Ciências, pelo IME.

Perguntado sobre o que o mobiliza para trabalhos desta natureza, ele afirma que “a fragmentação das informações no mundo dinâmico que vivemos hoje deixa algumas lacunas no conhecimento”. Afirma que é necessário “atar esses nós e apresentar aos alunos o complexo enlace entre pesquisas científicas, avanços tecnológicos, hegemonia político-econômica, globalização, artes e comunicação”.

 

Para o seu trabalho na formação de professores de matemática, na FEUC, André afirma seu interesse por uma pedagogia que valorize projetos e que incentive a autonomia do aluno. “É importante, para mim, desmistificar o trabalho do cientista e alinhar o pensamento científico ao social. A ciência tem conduzido muito seus investimentos de outro modo: ou empurrada pelas demandas econômicas das grandes corporações ou induzida por questões essencialmente científicas, menosprezando seu papel na transformação social. Os debates buscam analisar essas conexões”.

Em sua atuação na FEUC, o professor busca “incentivar a pesquisa científica, focando em apresentação de trabalho e participação em congressos e atividades externas”, frisando aos alunos a importância de que seus projetos sejam “desenvolvidos como um processo e não somente como uma atividade isolada”. André incentiva ainda “a criação de empresas juniores para dar continuidade a alguns projetos que não sejam essencialmente científicos”.

Para a FEUC, que acabou de completar, no último dia 20 de janeiro, 58 anos formando professores na Zona Oeste, ter André Oliveira em seu quadro docente é um orgulho muito grande.

                

 

 Parabéns, André!

Equipe FEUC

 

Texto: Célia Neves.

Edição: Victor Ramos

Fotos: Acervo pessoal

Tags:Prêmio Shell de Educação Científica; Professores FIC; Matemática.